Quais cuidados ter ao administrar uma empresa familiar?

Você trabalha na empresa criada pelo seu pai? Muito bom! Atua em uma que foi fundada pelo seu avô? Fantástico! A sobrevivência das empresas familiares no Brasil ainda é algo para se orgulhar. Afinal, apesar de 90% das empresas do país serem familiares, apenas 30% sobrevivem à segunda geração e somente 5% chegam à terceira, de acordo com pesquisa feita pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Os desafios nesse tipo de negócio são muitos: falta de profissionalização, divergência de ideias, problemas na gestão financeira e falta de planejamento na sucessão são alguns deles. Para ter sucesso em uma empresa familiar, é importante ficar atento a detalhes que fazem toda a diferença para o negócio.

A seguir, confira que cuidados ter ao administrar uma empresa familiar!

Separe as coisas

Mas é para separar tudo mesmo. Os problemas de casa devem ficar em casa, os da empresa, na empresa. Separe também as atribuições de acordo com a formação e a habilidade de cada colaborador/familiar e, de preferência, registre cargos e atribuições em um documento para que não haja dúvidas.

As finanças representam um tópico que deve ser especialmente dividido. Não dá para misturar o dinheiro do negócio com o dinheiro pessoal, nem mesmo os bens móveis e imóveis devem ser confundidos. Se você precisa de um carro maior para o final de semana, vai ter que alugar. O carro da empresa é exclusivamente para o trabalho e seus respectivos custos com combustível, manutenção e impostos também.

Profissionalize a equipe

A profissionalização é um dos passos mais importantes para o sucesso de uma empresa familiar. Ela está ligada à formação e capacitação de sua equipe, mas quer dizer muito mais que isso. Profissionalizar os processos de forma geral é essencial. Isso pode ser conseguido por meio da aquisição de um software de gestão, do gerenciamento de fornecedores ou por meio de outras ações.

Quando as pessoas e os processos se profissionalizam, o negócio deixa de caminhar no improviso para ser conduzido com base em critérios objetivos e bem definidos. A gestão passa a ser mais assertiva porque é orientada por resultados e não apenas pelo feeling dos sócios.

Trabalhe com equidade

Por mais que existam muitos familiares trabalhando em sua empresa, ela não pode ser conduzida apenas por parentes. Você precisará de outros profissionais — que não são da família — para completar o seu quadro de funcionários, o que é muito positivo.

O importante é que haja equidade nessa relação, considerando as exigências acerca dos horários, níveis e qualidade na produção e até mesmo os critérios para promoção e demissão. Parente também deve ser mandado embora, quando for necessário.

As regras devem valer para todos e a hierarquia estabelecida em conjunto deve ser respeitada. O equilíbrio na gestão de uma empresa familiar contribui muito para se manter relações saudáveis e justas. Por mais que um filho ou irmão ocupe um cargo de liderança na empresa, os critérios dessa escolha devem considerar apenas os aspectos profissionais da pessoa, e isso deve ficar claro para todos.

Estimule a inovação

As empresas familiares tendem a se desenvolver com características muito marcadas de seus fundadores. Isso pode ser muito positivo por um lado, mas, por outro, pode prejudicar. Se a empresa foi constituída em outro tempo, os fundadores podem não ter concebido a noção exata de transformações importantes para o negócio. Por isso, é vital estimular o grupo a inovar sempre.

Crie uma cultura de valorização daqueles que apresentarem processos inovadores que possam contribuir para a redução de custos ou aumento de faturamento, por exemplo. Uma proposta que permita a automatização de processos ou práticas simples que podem reduzir erros na gestão de estoque pode ser interessante.

Construa um plano de governança

Um plano de governança corporativa é especialmente importante em empresas familiares. Além de traçar os caminhos que devem ser seguidos para que os sócios atinjam seus objetivos, ele também prevê como será a sucessão na instituição. Todos os critérios desse processo serão desenhados e estudados por todo o grupo, até que se chegue a um modelo de governança que atenda às necessidades do negócio.

Para o plano sucessório, é possível prever, por exemplo, que para se chegar a alguma diretoria da empresa, será preciso: ser graduado, ter uma pós-graduação na área de negócios, ter trabalhado pelo menos um ano em outra empresa do mesmo porte e ter passado por todos os setores da empresa por pelo menos seis meses. Esse documento também deve apresentar os critérios para que o presidente assuma e deixe o cargo. Um dos critérios para que ele seja sucedido pode ser a idade.

Conte com empresas especializadas

Tanto o plano de governança quanto outros serviços podem ser desenvolvidos por empresas especializadas. Às vezes, com a correria das atribuições do dia a dia, fica difícil pensar em tantos aspectos da gestão da empresa familiar. Para isso, é preciso contar com a ajuda de consultorias e de outras instituições que façam um trabalho mais direcionado.

O importante é ter muito critério aos selecioná-las e não deixar todo o trabalho na mão delas. Elas vão ajudar, mas quem deve dar os direcionamentos são os sócios, já que elas vão executar o trabalho de acordo com o que for solicitado. Isso também serve para os acompanhamentos dos processos. Os gestores devem estudar os relatórios, tirar dúvidas e interferir naquilo que lhes couber.

Viu como o seu desafio é muito maior do que parece? Conduzir uma empresa familiar no Brasil é, ao mesmo tempo, uma oportunidade valiosa de empregar muitas pessoas e contribuir para a economia e um exercício de persistência e sabedoria. Desde as empresas muito pequenas até as maiores se deparam com as mesmas dificuldades. A forma de encarar os menores e grandes entraves é o que vai fazer a diferença e definir sua perenidade no mercado.

O importante é prestar o melhor serviço possível e estar pronto para aperfeiçoar o que for necessário. Quais são os principais desafios que você enfrenta na gestão de sua empresa familiar? Deixe seus comentários e ajude a enriquecer essa discussão! 

materiais-gratuitos-gestao-fiscal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This