O que é TEF e porque ele é tão importante para o varejo?

Nos últimos anos, a grande maioria dos brasileiros adotou o cartão de crédito como opção de compra no varejo. Apesar de ser uma praticidade também para o dono de loja, que não tem que movimentar grandes quantias em cédula, a tendência irreversível de substituir papel por plástico traz também a necessidade de as empresas se adaptem para sobreviver.

O TEF é uma tecnologia que surgiu dessa demanda para simplificar e aprimorar o controle de vendas e a produtividade dos funcionários. Confira tudo o que você precisa saber sobre o assunto:

O que é TEF?

Você já deve ter reparado nesse sistema em grandes redes varejistas e cadeias de fast-food. TEF é uma sigla para Transferência Eletrônica de Fundos, usada para denominar o pagamento eletrônico de cartão de crédito, débito e vouchers.

A principal diferença do modelo tradicional é que a validação do cartão, operação de venda e transação, não é mais feita exclusivamente pela máquina avulsa. Nesse novo modelo, o processo de venda está integrado a um software de controle que rastreia a movimentação de forma automatizada e faz a comunicação entre varejo e operadora, que autoriza a transferência.

Ou seja, não é mais necessária a intervenção humana para a operação, como digitar o valor manualmente na maquininha. Todo o processo é realizado dentro do sistema integrado e devidamente validado.

Quais são vantagens do TEF para o varejo?

Essa automação do processo e integração do sistema é uma forma de aproveitar a comodidade que o cartão de crédito traz ao cliente para agregar valor à operação do varejo. Veja seus maiores benefícios:

Controle de vendas

Usando o modelo tradicional de máquina avulsa, é bem mais difícil cruzar dados de vendas com mais detalhes. Isso acontece porque o software ERP não está integrado com a transação, que registra apenas o valor total da compra digitada pelo funcionário.

Usando o TEF e um software de gerenciamento, é possível ter as duas informações pareadas automaticamente, dando ao varejista um controle muito maior sobre históricos e hábitos de compra. Não apenas isso, o próprio TEF e/ou ERP cria relatórios gerais e segmentados de acordo com a necessidade gerencial do estabelecimento.

Taxas menores

Uma grande desvantagem das maquininhas de cartão é que, por serem oferecidas em contrato, mutias delas passam cartões exclusivamente da operadora contratada. O TEF não possui essa limitação — de acordo com a bandeira, você pode escolher a operadora que desejar.

Dessa forma, é possível tratar a operação de cartão de crédito como mais um de seus fornecedores e usar seu poder de negociação. Busque, entre as opções, as melhores taxas e utilize essa vantagem como uma arma para reduzir ainda mais as porcentagens que a operadora exige.

Proteção contra fraudes

A automação empresarial é uma busca constante por redução de riscos que envolvam a intervenção humana — principalmente se mal-intencionada. No caso do varejo, esse problema se encontra na hora de utilizar a máquina de cartão, quando o valor precisa ser introduzido manualmente pelo funcionário.

Fraudes dessa natureza envolvem a digitação de valores diferentes do total da compra ou até uso de outra maquininha clandestina. Sem um sistema que integre a venda com a transação monetária fica difícil identificar a origem do crime ou até perceber que ele ocorreu.

Como o processo de TEF é automatizado, esse risco é eliminado completamente, já que o funcionário no PDV não tem poder sobre a transação.

Filas menores

O TEF pode ser uma comodidade para o cliente, que sai satisfeito da loja, e um aumento de produtividade para o varejo, que ganha a capacidade de atender mais pessoas em menos tempo.

A automatização do processo agiliza muito a venda porque, feito o registro dos produtos, o valor total é enviado imediatamente para a máquina e o processo de validação do cartão se inicia.

Esse sistema elimina alguns problemas bastante recorrentes que causam atrasos e aumentam as filas, como erros de digitação do valor na maquininha, exigindo que o funcionário recomece a operação.

Tem dúvidas se esse ganho é realmente significativo? Filas em fast-foods são a maior prova de que o TEF funciona.

Como montar uma estrutura de TEF eficiente?

Como toda nova tecnologia, a eficiência na implementação garante a eficiência na operação. Mas calma, ter o TEF em pleno funcionamento no seu varejo não tem tanto a ver com o seu conhecimento da tecnologia, mas com a sua capacidade de gerir fornecedores e com uma estrutura adequada. Veja como fazer isso:

Garantir um bom link de internet

O TEF utiliza a internet da empresa para fazer as transações. Assim como a rede das operadoras, a queda do link pode causar a paralisação do sistema — um baita transtorno para donos de varejo.

Por isso, faça questão de escolher um bom provedor de internet e implemente uma infraestrutura de entrega estável para garantir a disponibilidade constante do sistema.

Treinar o setor de TI

Sua equipe de TI precisa se familiarizar com o TEF, mesmo que você tenha uma solução terceirizada para lidar com ele. Antes e durante a implementação, invista no treinamento dos funcionários para que eles possam monitorar seu uso e garantir uma integração adequada.

Procurar soluções de software compatíveis

Existem várias opções de softwares que centralizam e gerenciam a operação de varejo. Escolha um que seja compatível com o controle de TEF e ofereça controle gerencial do seu negócio, com soluções de gestão, operação e suporte. 

Buscar suporte competente

Essa parte também é muito importante na hora de adotar o TEF no seu varejo. Um negócio dessa natureza é muito complexo para que o dono de loja consiga controlar todos os aspectos de uma operação corporativa, por isso a terceirização desse tipo de sistema é uma boa ideia, principalmente quando falamos em garantir um suporte especializado que tire de você a dor de cabeça de manter o sistema sempre funcionando.

O TEF é uma resposta para um futuro inevitável: os cartões de crédito já dominam os meios de compra e aumentarão ainda mais sua participação no varejo nos próximos anos.

E para se manter competitivo, o varejista precisa se adequar aos hábitos de compra do seu cliente, que mudam muito rápido. A Transferência Eletrônica de Fundos pode ser a solução para você melhorar o controle financeiro da sua loja e trazer mais comodidade para o seu público.

Gostou de conhecer essa nova tecnologia para o varejo? Que tal ficar sempre por dentro das novidades da sua área? Então assine a nossa newsletter e receba artigos como este diretamente no seu e-mail!

materiais-gratuitos-gestao-fiscal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This