Gerenciamento de categorias em supermercados: o que é e como fazer?

como organizar um estoque de supermercado
9 minutos para ler

Quem atua no varejo sabe que existem inúmeras ferramentas de administração para ajudar na condução do negócio — uma delas é o gerenciamento de categorias em supermercado. Aliás, você sabe como organizar um estoque de supermercado de forma eficiente?

Para isso, é preciso utilizar uma ferramenta que considere todo o caminho percorrido pelo cliente na loja, a fim de otimizar as vendas. Logo, tal metodologia deve ser muito bem compreendida para ser usada de maneira adequada e gerar os resultados esperados.

Neste artigo, vamos explicar o que é gerenciamento de categorias em supermercados e como gerenciar os dados e organizar o estoque de modo apropriado para otimizar a rotina nesses espaços. Confira!

Relatório_gerencial_para_varejistas2Powered by Rock Convert

O que é gerenciamento de categorias em supermercados?

O gerenciamento de categorias em supermercados é uma metodologia usada por profissionais do varejo para identificar o percurso trilhado pelo cliente e, assim, melhorar as vendas e as relações com os fornecedores. Ela considera as preferências do consumidor em relação às categorias de produtos.

Por exemplo: quem adquire alimentos no grupo de enlatados em conserva consome mais milhos da marca X ou Y? Esse recorte é feito de acordo com o perfil do consumidor — se pertence à classe A, B, C, D ou E, se é homem ou mulher etc — e o histórico de consumo das categorias listadas. Tal análise serve para orientar as compras feitas pelo supermercado com cada fornecedor, o que otimiza também os estoques.

Por que pensar com os olhos dos clientes?

O gerenciamento de categorias em supermercados é uma ferramenta que ajuda as redes de varejo a pensar suas rotinas de acordo com o olhar do cliente. Quando os consumidores das classes A e B querem comprar massas, algumas perguntas precisam ser feitas: preferem macarrão, nhoque ou lasanhas? Se for o primeiro, qual o tipo mais frequente? Quais marcas eles priorizam? Qual tipo de embalagem escolhem?

Com esses dados registrados em um sistema, é possível garantir que o produto não vai faltar. Entretanto, é importante pensar no percentual que os clientes das classes A e B representam para o seu supermercado. Se eles são uma pequena parcela, talvez seja interessante lançar um olhar mais cuidadoso sobre as classes C e D, por exemplo, mas sem desconsiderar o primeiro grupo.

Em resumo, é preciso observar qual perfil de clientes mais frequenta o seu supermercado (sem deixar de lado os demais) e analisar as escolhas desse montante para elaborar estratégias de vendas mais voltadas para a sua realidade.

Como a ferramenta ajuda os profissionais que atuam dentro supermercado?

O gerenciamento de categorias em supermercados também auxilia os próprios profissionais. Se a sua empresa divide os funcionários por setores, essa metodologia os ajudará a conhecer melhor a área em que atuam. Assim, eles perceberão qual categoria tem mais saída em certa época e poderão sugerir uma reposição de estoque.

Além disso, os profissionais sentirão a necessidade de alterar as disposições dos produtos nas prateleiras em função dessa avaliação. O olhar do cliente é o mesmo, mas o dos funcionários envolvidos muda devido à janela de possibilidades que se abre com a aplicação do gerenciamento de categorias.

Como organizar e gerenciar esses dados?

Quando a empresa trabalha com software de controle de estoque, fica muito mais fácil aplicar o gerenciamento de categorias em supermercados. Afinal, a plataforma já realiza o registro das movimentações, e cabe aos gestores fazer apenas a interpretação dos dados de acordo com essa orientação.

Mas é importante lembrar que a tecnologia, por si só, não faz a diferença, pois o sistema precisa ser treinado para auxiliar conforme as necessidades das pessoas. Ainda assim, o fato é que os relatórios gerados pela ferramenta digital podem ser analisados de forma a orientar o gerenciamento de categorias.

Logo, se o supermercado pretende fazer um acompanhamento mais próximo dos produtos congelados, por exemplo, é possível cruzar relatórios considerando as classes das carnes, salgados, polpa de frutas e seus respectivos subgrupos: aves, pão de queijo, frutas da temporada etc. Desse modo, há condições de saber a frequência do giro desses itens e pensar em formas específicas de planejar as compras.

De que forma a automatização melhora o gerenciamento de categorias?

Depois de mapear as preferências do consumidor de acordo com cada categoria, você pode elaborar regras para automatizar os processos e deixá-los ainda mais inteligentes. Se está sendo analisada a categoria de utilidades domésticas e é percebido que os estoques de escorredor de macarrão têm grande saída, é possível criar uma norma para tornar essa reposição automatizada.

É possível cadastrar uma regra para que o gestor responsável pela categoria receba um alerta quando esse estoque estiver abaixo de 20%, por exemplo. Assim, a reposição é realizada antes mesmo de o volume ser zerado, preservando as vendas. Isso pode ser feito em qualquer classe de produtos de grande importância financeira para o negócio.

Por que a rotina do shopper é facilitada?

Sabemos que o shopper é responsável por realizar as compras do supermercado. Com o gerenciamento de categorias, sua rotina será bastante otimizada, pois ele perceberá mais facilmente o que precisa ser comprado e com qual frequência. A metodologia contribuirá, ainda, para o bom relacionamento com cada fornecedor.

Para que o trabalho seja facilitado, porém, é fundamental a participação ativa do profissional. Logo, ele deve ser envolvido nas especificações e divisões de cada categoria, afinal, se essas parcelas e denominações forem feitas de forma inadequada, todo o processo de cadastro de produtos no sistema fica comprometido.

Vale lembrar que o cadastro precisa ser ajustado à realidade do próprio supermercado. Aliás, esse fator é imprescindível para o envolvimento dos profissionais que lidam com o trabalho e ajudam a construir a lógica das categorias do supermercado.

Afinal, como organizar um estoque de supermercado de forma eficiente?

Se você ainda não sabe como organizar um estoque de supermercado de maneira eficaz, saiba que esse é um dos grandes gargalos dos profissionais que atuam no ramo. Afinal, estamos falando de um tipo de negócio em que os clientes manipulam os produtos constantemente, tirando-os do lugar e das condições ideais de armazenamento.

Além disso, há uma rotatividade muito maior quando falamos de itens perecíveis. Para ajudar você nessa tarefa, separamos algumas dicas imperdíveis. Veja!

Crie padrões e regras

Como todo gestor sabe, é imprescindível criar processos bem definidos e documentados para melhorar a eficiência do setor. Padronizar significa que todos os colaboradores executarão aquela tarefa da mesma forma, o que diminui os erros, aumenta a agilidade, facilita o monitoramento de resultados.

Por isso, você deverá criar uma política de controle de estoque com fluxos de trabalhos que envolvam todas as atividades. Tudo isso deverá ser documentado e, a partir de então, os funcionários precisarão ser treinados para que conheçam e executem as regras perfeitamente.

Dentro de um supermercado, são várias as opções de padronização, tais como:

  • as gôndolas de acordo com a perecibilidade do alimento;
  • os horários fixos para reposição de produtos;
  • a conferência das condições de armazenamento.

É preciso implementar um sistema único, que consiga executar todas as principais funções de gestão de estoque para supermercados. Afinal, diferentemente de outros setores do varejo, esse tipo de negócio demanda medidas de controle especiais, dada a quantidade de insumos perecíveis e sua alta rotatividade.

Monitore o fluxo de entrada e saída

O monitoramento do fluxo de entrada e saída é essencial para manter o sucesso do seu supermercado, uma vez que essa medida influencia em vários pontos importantes. A partir de um controle em tempo real, é possível prever a demanda por cada produto, por exemplo. Assim, você pode fazer pedidos mais precisos aos seus fornecedores, evitando tanto a falta quanto o excesso de itens.

Como explicamos, todo esse processo deve ser feito de forma automatizada, com o uso de um sistema especializado em supermercados. Quando seus estoques estiverem em níveis críticos, um aviso será enviado.

Determine datas e períodos de compra

Normalmente, sempre pensamos na gestão de estoque por meio do controle da saída de produtos. Todavia, é importante elaborar também uma boa política de compra. Afinal, isso permite um nível adequado de itens, bem como a possibilidade de negociar melhores condições e melhorar o fluxo de caixa, por exemplo.

Portanto, elabore um calendário, definindo as datas e os períodos específicos da compra de cada tipo de insumo. Inclua também os produtos sazonais, afinal, como seu time não os adquire constantemente, é preciso assegurar que eles estarão nas prateleiras na hora certa. Programar é a melhor forma de evitar imprevistos.

Defina responsabilidades

Um erro frequente é investir somente em processos, equipamentos e softwares, enquanto os recursos humanos são deixados de lado. Porém, é preciso delegar as tarefas adequadamente para que todos saibam o seu papel e a sua importância no gerenciamento de categorias em supermercados.

Os alimentos perecíveis, por exemplo, demandam processos de monitoramento mais complexos, como conferência de temperatura dos freezeres, viabilidade dos produtos e umidade das gôndolas. Então, o ideal é deixar um time dedicado somente a essa função. Com o tempo, toda a equipe executará as tarefas com agilidade e uma taxa de erros mínima.

Estar atento às novidades do mercado para melhorar os negócios é um dever do gestor de varejo. Lembre-se de que sempre é possível usar novos métodos para saber como organizar um estoque de supermercado adequadamente. Aliás, a tecnologia tem sido uma grande aliada nesse processo, garantindo resultados que contribuem cada vez mais com o controle e o aumento das vendas.

E então, este post foi útil e relevante? Entendeu por que o gerenciamento de categorias em supermercados ajuda a tornar a empresa mais lucrativa? Aproveite e descubra, agora mesmo, qual a importância da gestão de estoques em pequenos supermercados!


Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-