Entenda o que é estoque mínimo e como calculá-lo

Também conhecido como estoque de reserva, de segurança ou de proteção, entre outras denominações, o estoque mínimo corresponde à quantidade mínima de mercadorias que deve ser mantida pela loja para evitar tanto o desabastecimento quanto o excesso de itens estocados.

Entretanto, a maior dificuldade das empresas que trabalham com esse modelo de estoque está em estabelecer o índice adequado para cada um de seus produtos. Você também enfrenta esse desafio no seu dia a dia?

Então, siga conosco, pois falaremos sobre o papel do estoque mínimo na gestão logística e ensinaremos como calcular esse parâmetro!

O que é controle de estoque?

Ocasionalmente, uma loja de varejo fica sem certos itens. Isso acontece por uma série de razões. Por exemplo:

  • popularidade inesperada de um item em particular, como produtos de um personagem que está na moda entre crianças;
  • uma compra extraordinariamente grande, como um grupo que compra todos os pãezinhos de hot dog de uma loja para uma festa;
  • uma falha do fabricante ao produzir e enviar no prazo certos itens.

O controle de estoque é uma maneira de o vendedor evitar que o estoque fique zerado, rastreando o que está à mão, o que foi vendido e o que está em ordem. Gerir o estoque adequadamente implica realizar um planejamento prévio para abastecer a loja com a quantidade adequada de itens em cada período. Desse modo, os objetivos da gestão de estoque são:

  • identificar a necessidade de reposição: mercadorias que acabaram, precisam ser substituídas ou eliminadas (itens danificados ou que passaram do prazo de validade);
  • evitar perdas, desvios e roubos de mercadorias;
  • inserir os custos de manutenção do estoque na precificação dos produtos;
  • administrar o capital de giro da empresa;
  • identificar o momento de adquirir mercadorias e em qual quantidade.

A logística de um negócio é integrada por meio de uma gestão de estoque eficiente, que busca manter o nível ideal de cada item, conforme as necessidades do negócio e a demanda do setor, levando em consideração picos de vendas e o tempo de fornecimento dos artigos.

Nesse contexto, uma boa gestão logística determinará o estoque mínimo de cada produto e atuará para mantê-lo dentro desse parâmetro.

Qual a importância do estoque mínimo? 

O estoque mínimo é um indicador extremamente importante para a gestão do negócio, indicando a quantidade mínima de itens necessários para o funcionamento pleno da empresa. Isso vale também para o caso de picos de vendas, evitando o esgotamento de produtos.

Por isso, o estoque mínimo é um fator importante utilizado para a gestão logística, com parâmetros que permitam que a empresa tome decisões de compra de mercadorias de maneira lógica, estratégica e organizada.

O objetivo, então, é suprir adequadamente a necessidade de produtos do negócio sem que sejam necessários investimentos extraordinários ou imprevistos. De maneira sucinta, podemos afirmar que trabalhar com estoque mínimo implica organizá-lo da forma mais justa possível, sem excedentes nem falta de produtos.

Que fatores são relevantes na gestão de estoque?

Para considerar se a gestão de estoque está sendo realizada de maneira eficiente na sua loja, verifique se ocorre o excesso de um item ou a falta dele.

Ambos os problemas geram prejuízos para as empresas, seja pela impossibilidade de atender o cliente por falta de produto, seja pela elevação dos custos da loja com a manutenção prolongada de artigos no estoque e consequente congelamento de valores elevados do fluxo de caixa, sob a forma de itens com baixa rotatividade.

A seguir, veja quais fatores devem ser considerados nessa gestão:

Produtos mais vendidos

Para gerir de forma eficiente seu estoque, é preciso ter uma noção clara de quais são os produtos mais vendidos, afinal, eles deverão ser repostos com mais frequência.

Produtos mais rentáveis

Também é importante saber quais são os artigos com maior retorno financeiro no seu catálogo. É imprescindível que estejam sempre em estoque e que seus clientes tenham acesso a eles sempre que desejarem. Deixar de vender esses produtos representa um prejuízo grande para a empresa.

Hábitos do cliente

Por fim, você deve conhecer profundamente seus clientes e os hábitos de consumo deles. Isso é muito importante para determinar a reposição de estoque e evitar que os produtos acabem em épocas de alta nas compras, como o Dia das Mães e a Black Friday.

É importante ser capaz de mensurar se suas vendas aumentarão em função desse tipo de data e em qual proporção.

Como calcular o estoque mínimo?

Para chegar a um número eficiente com relação ao estoque mínimo, a primeira coisa a analisar é o inventário da loja. Por isso, é importante ter controle sobre tudo que a empresa produz, vende e utiliza, com as quantidades exatas e variações em função da época do ano e datas festivas. Isso é importante porque o estoque mínimo interfere no processo de produção e é necessário que ele seja contemplado, para um resultado mais satisfatório.

Para realizar esse cálculo, a empresa deve trabalhar com a média de vendas dos últimos meses e dividir essa quantidade de vendas por dia, para determinar uma previsão mensal das vendas mensais. A partir desse número, é possível determinar a quantidade dos itens que precisam ser mantidos em estoque para garantir o funcionamento da loja.

Para o cálculo do estoque mínimo, podemos considerar: 

  • consumo médio diário = consumo de itens em um período ÷ número de dias;
  • estoque mínimo = consumo médio diário x tempo de reposição.

Se a loja vendeu 300 unidades de determinado artigo em um mês, o consumo médio será de 10 itens, que é o resultado de 300 dividido por 30 dias. Se o tempo de reposição desse produto é de 5 dias, então, podemos afirmar que o estoque mínimo nesse caso será de 50 peças, que é o produto de 10 unidades multiplicadas por 5 dias. 

Podemos ainda estipular uma porcentagem de segurança acima do estoque mínimo para garantir que o desabastecimento não vai ocorrer, mesmo que as vendas extrapolem os índices habituais de venda do produto, considerando os registros passados. Dessa forma, se um item está crescendo em termos de vendas, é interessante trabalhar com essa margem de segurança para evitar a falta de estoque nos picos de demanda.

Se desejarmos criar um fator de segurança da ordem de 10%, por exemplo, podemos considerar que o estoque mínimo seria de 55 peças, e não 50. Com isso, adicionamos 5 unidades, que é o equivalente a 10% em relação ao cálculo do estoque mínimo.

Gostou do nosso conteúdo sobre gestão de estoque e cálculo do estoque mínimo? Então, siga aprendendo e leia também o nosso post sobre previsão de demanda: como calcular e ser mais assertivo nas vendas.

materiais-gratuitos-gestao-fiscal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This