Custo fixo e variável: entenda as diferenças entre eles!

custo fixo e variável
6 minutos para ler

Entender as diferenças entre custo fixo e variável é um ponto crucial para todo gestor financeiro responsável. No entanto, muitos empreendedores se baseiam em achismos na hora de precificar seus produtos ou serviços ou organizar as contas da empresa, pois não entendem a importância ou não têm as ferramentas adequadas, como um software de gestão.

Hoje em dia, o nível de competitividade entre as empresas está cada vez mais acirrado e isso se deve, em grande parte, às soluções proporcionadas por sistemas modernos que organizam informações e otimizam processos, dando suporte ao controle de finanças da empresa.

Por isso, mostramos os aspectos que diferem custo fixo e variável que você precisa conhecer e como melhorar seu gerenciamento por meio uma ferramenta tecnológica. Acompanhe a leitura deste artigo para saber mais sobre o assunto!

Quais os tipos de custos em uma empresa?

Custo é todo tipo de gasto pertinente, especificamente, à prestação de serviços ou à produção de mercadorias que uma empresa oferece ao mercado. Eles são classificados em diferentes categorias, sendo as quatro principais:

  • custos fixos;
  • custos variáveis;
  • custos diretos;
  • custos indiretos.

Apesar de os nomes deixarem claro a que se refere cada tipo de custo, é importante destacar suas particularidades.

O que é custo fixo?

É o tipo de gasto com que a empresa tem de arcar todos os meses, independentemente de qual seja o volume de vendas. Esse custo também costuma estar relacionado às questões estruturais da organização, pois abrange os gastos pertinentes à capacidade de produção do negócio.

É necessário destacar, aqui, que custo fixo não quer dizer que os valores também serão fixos. Isso significa apenas que uma determinada despesa em questão ocorrerá todo mês, não importa o número de produtos vendidos ou serviços prestados.

Quais são os custos fixos de uma empresa?

Existem diversos custos fixos que um estabelecimento comercial deve pagar mensalmente, como:

  • aluguel do imóvel da empresa;
  • salário dos colaboradores (a não ser que sejam comissionados);
  • contas de consumo (água, luz, internet etc.).

Pense, por exemplo, em uma indústria do setor alimentício. Em um mês, ela pode produzir 20 toneladas de mercadorias, enquanto no mês posterior a produção pode chegar a 30 ou cair para 15.

Em qualquer um dos cenários, custos fixos, como aluguel ou manutenção periódica, se manterão, já que independem das vendas ou da rotina produtiva.

O que é custo variável?

O custo variável, diferentemente do fixo, é todo tipo de custo que sofre alterações em curto prazo. Em geral, está relacionado a algum fator variável nas vendas ou nos processos de produção.

Quais podem ser os custos variáveis de uma empresa? Um dos exemplos mais básicos que podemos destacar são:

Note que os três custos citados acima podem sofrer variações de acordo com a quantidade de produtos vendidos ou de serviços prestados no mês, pois há uma relação direta entre os fatores.

No caso da indústria do setor alimentício, os custos voltados para a aquisição de matéria-prima, como milho (que é a base de inúmeros tipos de alimentos e bebidas), variam à medida que ocorre um aumento ou queda nas vendas ou na produção — lembrando que, se não houver vendas, esse é um custo que não pode ocorrer.

Como calcular?

O fato é que os custos fixos são mais fáceis de serem calculados, pois, como não sofrem variações, é possível “prevê-los” e somá-los em seu planejamento financeiro, mas não podemos falar o mesmo sobre os custos variáveis.

O cálculo do custo variável é feito com base nas características da organização. Por exemplo, se os vendedores recebem comissão por seu desempenho nas vendas ou se se os colaboradores são pagos por horas trabalhadas, esses são fatores que devem entrar na conta.

Vamos dar um exemplo mais simples para facilitar seu entendimento. Ainda no caso da indústria alimentícia, o método para fazer o cálculo de custos variáveis pode ser simplesmente a soma de todos os custos, conforme um determinado período, como um mês ou trimestre, e a divisão do valor total pelo número de sacas de alimentos produzidas no mesmo período.

Vale destacar, ainda, que hoje em dia existem soluções tecnológicas que facilitam bastante esse controle, evitando equívocos que possam gerar grandes prejuízos para a empresa. Falaremos sobre isso mais adiante.

Por que é importante saber diferenciar custo fixo e variável?

Você sabia que a falta de organização financeira está entre os fatores que levam seis, em cada dez empresas, a fechar as portas antes dos primeiros cinco anos?

A falta de controle sobre o destino do capital do negócio abre margem para equívocos que, por consequência, geram gargalos na produção, prejuízos, insatisfação dos clientes e até mesmo falência do negócio.

Por isso, é muito importante não apenas saber diferenciar as despesas fixas das variáveis em sua organização, como também contar com métricas e ferramentas adequadas para tornar a gestão mais eficiente.

Como melhorar o gerenciamento de custos fixos e variáveis em sua empresa?

Por falar em ferramentas eficientes para gerenciar os custos fixos e variáveis, uma das melhores maneiras de otimizar a administração financeira em sua empresa é implementando um bom software de gestão e contabilidade.

O fato é que um sistema integrado aos processos internos da empresa proporciona todas as informações pertinentes à movimentação de dinheiro, ou seja, entradas e saídas de capital.

Sendo assim, é possível obter relatórios precisos sobre o departamento financeiro, o que permite que o gestor saiba onde está tendo mais gastos e o que pode ser feito para reduzir custos, sem mencionar as vantagens que esse tipo de software proporciona à gestão tributária e como pode facilitar os processos cotidianos.

Como você pôde aprender neste conteúdo, existem diferenças pontuais entre custo fixo e variável. Conhecê-las é crucial para as finanças e, consequentemente, para o sucesso do seu negócio. Também mostramos a importância de ter total controle sobre os gastos da organização e como um sistema de gestão financeira pode dar suporte à tomada de decisões administrativas.

Agora que você já conhece as principais diferenças entre custo fixo e variável, não deixe de conferir também o nosso artigo sobre os indicadores financeiros mais importantes!

 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-