Qual a importância da gestão de estoques em pequenos supermercados?

Diante da grande concorrência estimulada pela globalização e pela vinda de grandes redes de supermercados, em que o poder de investimento é maior, os pequenos comércios desse segmento precisam estar atentos. E isso não só devido ao aumento da competitividade local, mas para se fazer uma eficiente gestão de estoques.

Uma das consequências da falta dessa prática está em não se obter um controle do consumo real dos materiais segundo sua necessidade atual, e isso faz aumentar a necessidade de capital de giro da empresa.

Por exemplo, alguns itens podem estar estocados em excesso, o que representa um capital desnecessário parado — além do risco da perda de produtos devido a suas validades. O inverso também se torna verdadeiro, e a gestão incorreta do estoque pode causar a perda de vendas pela falta de mercadorias, o que diminuirá o faturamento do supermercado.

O profissionalismo e a padronização dentro de uma empresa, atualmente, tornam-se diferenciais competitivos para a gestão de estoques. Isso porque estamos em tempos em que o cliente sugere como, onde e quando quer comprar e quanto vai pagar por suas necessidades.

Vamos entender então como funciona essa prática, como evitar perdas e, assim, melhorar o controle das mercadorias.

Como funciona a gestão de estoques

Como já observamos, a gestão de estoques de um supermercado se refere ao gerenciamento de materiais ou produtos que vão gerar receita futura.

Por exemplo, uma empresa não costuma armazenar todos os itens em sua loja. Uma boa quantidade das mercadorias revendidas por ela fica em um armazém ou depósito. A soma desses produtos estocados é conhecida como inventário.

Vejamos algumas razões para se ter um bom sistema de gestão de estoques.

Atendimento à procura de forma eficiente

A procura por determinadas mercadorias não será a mesma durante todo ano. Ao decorrer dos meses, por exemplo, vemos diferentes datas comemorativas (sazonalidade) e seus produtos específicos consumidos.

Se o cliente for ao supermercado para comprar algum item e não o encontrar, essa venda não acontecerá mais. Isso deixa claro que ter as mercadorias também significa garantir vendas, faturamento e até fidelização de consumidores. Essa falha dentro das empresas se chama ruptura de estoque e, nesses casos, a perda de receita não é somente com o produto em falta, mas sim com todos os outros que o cliente poderia levar junto.

O planejamento eficaz garante que, durante os períodos sazonais, seja cumprido o atendimento integral da demanda. Ou seja, o cliente encontra o produto que precisa, ao mesmo tempo em que o supermercado evita excessos.

Continuidade nas operações

Algo que um dono de comércio não quer ver, de forma alguma, é o consumidor entrar em sua loja e sair com as “mãos abanando”. Como alguns itens são produzidos em épocas específicas do ano, devido à facilidade em encontrar matérias-primas naquela época, é necessário saber quais mercadorias são essas e planejar o estoque até o próximo pedido.

Essa estratégia evita que se comprometa o controle de produtos durante todo o ciclo de venda e contribui para que as operações sigam sem nenhum contratempo.

Economia das operações

Um instrumento indispensável para administração de mercadorias é um bom sistema de gestão de estoques. Quando escolhida uma ferramenta adequada, e se for utilizada de forma certa, o resultado será economia.

Em épocas festivas, alguns itens têm suas demandas de venda aumentadas, como chocolates na Páscoa ou brinquedos no Dia das crianças e Natal. Por adquirir esses produtos em grande escala e com antecedência, empresários que possuem um eficiente sistema de gestão de estoques conseguirão negociar preço e armazenar boas quantidades para a temporada.

Os benefícios dessa prática são vários, como a possibilidade de ótimos descontos devido a compras planejadas e em grandes quantidades — aumentando o faturamento e lucratividade da empresa —; além do atendimento tranquilo da demanda exigida pelos consumidores. Quando um cliente entra na sua empresa e não encontra algo que ele acha que não poderia faltar, a chance de ele voltar a comprar com você diminui bastante.

Princípios da gestão de estoques

A seguir, abordaremos três práticas que podem te ajudar a ter um bom estoque gerenciado. Acompanhe!

Antecipação de demanda

Essa é uma das habilidades primordiais. Um supermercado deve ter a capacidade de prever demandas de produtos específicos em determinados momentos do ano. É preciso criar e manter o sistema de inventário, levando em consideração as demandas reais e previstas. Um simples histórico de vendas dos produtos — tendo como base a mesma época de anos anteriores — será uma valiosa fonte de informação.

Acompanhamento do sistema

Em seu negócio, deve existir um mecanismo de acompanhamento de quantidade em estoque, a todo o momento. O supermercado deve saber com precisão a escala de mercadorias armazenadas, atualizada de maneira real.

Qualidade de armazém

É necessário que a área separada para estoque possa mantê-lo em boas condições. Produtos desperdiçados geram perdas de oportunidades e receitas.

Como evitar perdas

Os dados são preocupantes, e os prejuízos cada vez maiores. Segundo o Programa de Administração de Varejo, os danos gerados pelas perdas na área supermercadista giram em torno de 2%, o que faz muita diferença na hora de abrir um negócio.

Outro dado que preocupa bastante é que apenas 22% das empresas pesquisadas possuem uma área específica para cuidar da prevenção de perdas, ou seja, esse tema não é levado como um dos mais importantes entre os empresários.

Olhando como espectadores, entre os maiores fatores de perdas dos supermercados estão as mercadorias danificadas ou vencidas — o que na verdade leva a um segundo ponto importante, que é a falta de cuidado na armazenagem, manuseio e controle.

Abaixo, listamos os pontos mais importantes para a prevenção de perdas nos supermercados:

  • equipe de gestão de perdas;
  • inventário rotativo;
  • controle de vendas;
  • acompanhamento da validade dos produtos, especialmente os perecíveis;
  • conferência no recebimento de mercadorias;
  • gerenciamento de estoques;
  • controle de devoluções e trocas de clientes e de fornecedores;
  • gestão de informação;
  • correta definição do mix de mercadorias;
  • gestão de movimentações internas;
  • controle de rendimento de carnes e receitas de padaria, salsicharia e outros.

Como melhorar o controle do estoque

Por último, seguem 10 dicas que ajudarão você a auxiliar seu supermercado a ter um controle de estoque mais eficiente.

  1. Conte com um estoquista de confiança.
  2. Conheça as diferentes formas de controlar o estoque.
  3. Realize a contabilização do inventário.
  4. Estabeleça um esquema para organização de produtos.
  5. Defina controles periódicos.
  6. Planeje as compras com base no histórico de movimentação.
  7. Saiba negociar com fornecedores.
  8. Faça queima de estoque quando for necessário equilibrar as contas.
  9. Tenha um controle rígido.
  10. Conte com um software para auxiliar o controle.

A realidade é que, mesmo antes de uma empresa começar suas vendas, o fato de ter lucro ou prejuízo pode ser determinado pelo fato de quão bem a empresa é capaz de gerenciar seus estoques. 

Levando a sério essas dicas, seu supermercado terá uma gestão de estoque eficiente, reduzirá as perdas, cortará despesas com compras desnecessárias e aumentará a lucratividade do seu negócio.

Gostou do conteúdo? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe seu comentário! Sua participação é muito importante para trazermos conteúdos cada vez mais relevantes para você.

materiais-gratuitos-gestao-fiscal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This