ordem-de-producao-e-a-importancia-da-tecnologia-para-evitar-perdas.jpeg

Ordem de produção e a importância da tecnologia para evitar perdas

Uma das formas de um estabelecimento manter-se competitivo, atendendo satisfatoriamente à demanda dos clientes, é mantendo ou aumentando o nível de produtividade sem precisar gastar muito.

Vários gestores podem considerar essa uma medida pouco aplicável na prática, mas ela é possível, especialmente considerando que existe uma tecnologia disponível que pode ser usada para otimizar a produção e controlar os custos.

Entenda como gerenciar melhor a ordem de produção de seu supermercado, padaria ou de outros estabelecimentos usando a tecnologia e evitando perdas!

A ordem de produção

Antes de tudo, é preciso avaliar como funciona o sistema produtivo. Ele é composto por diferentes etapas: aquisição de matéria-prima, produção propriamente dita, embalagem, armazenagem, controle de qualidade, distribuição e vendas.

A entrada da matéria-prima é chamada de input (compra de matéria-prima), e a saída é o que chamamos de output (venda dos produtos).

A ordem de produção consiste em uma ferramenta utilizada em uma empresa para iniciar o processo produtivo. Terminada essa etapa, é necessário dar baixa nos estoques de matérias-primas e criar a entrada na mercadoria que foi produzida.

A ordem de produção e os gargalos

Um estabelecimento pode sofrer com diferentes gargalos que limitam e comprometem a produtividade. Sempre que existe uma lacuna entre as etapas de produção, identifica-se um gargalo. É o caso de uma empresa que tem potencial para produzir 1.000 peças, mas só possui potencial para embalar ou armazenar 500 itens.

Pode-se definir gargalo como a presença de ociosidade dentro do sistema produtivo em um ou mais setores, o que certamente gera custos adicionais para o negócio.

Para ajudar a planejar, administrar e manter o processo produtivo sob controle, existem atualmente muitas ferramentas tecnológicas. Sem elas, o procedimento pode se tornar mais lento e sujeito a falhas graves.

A ordem de produção e a tecnologia

Em meados dos anos 70, as nações industrializadas do Ocidente perceberam que alguns países orientais representavam uma importante ameaça no mercado internacional. Eram o Japão, Coreia do Sul, Taiwan, entre outros.

Eles faziam uso de estratégias muito eficientes, como Just in Time (compra programada de insumos), Controle de Qualidade Total (TQC), Sistema de Manufatura Flexível (FMS), Computação Integrada à Manufatura (CIM), Curva ABC, Sistema Kanban de Ordem de Produção e outras.

Na década de 80, as empresas perceberam que sem tecnologia seria muito difícil acompanhar as tendências do mercado insurgente, estimulado pelas iniciativas dos países orientais mais desenvolvidos tecnologicamente.

Para reduzir gastos e manter uma ordem de produção mais eficaz, os empreendimentos teriam de adotar ferramentas tecnológicas, integrar-se às novas técnicas de gestão e controle de custos.

Os modernos sistemas de gestão

Atualmente, é comum ouvirmos falar em ERP, WMS, TMS e outros sistemas que otimizam a gestão geral da empresa (inclusive as finanças).

Portanto, a TI já oferece soluções avançadas para planejar, gerir e controlar a ordem de produção em tempo real. Essas soluções propiciam integração entre os diferentes setores e ajudam a aplicar as estratégias mais eficientes, desenvolvidas pelos japoneses e coreanos (como o Just in Time, Controle de Qualidade Total e Computação Integrada à Produção).

O ERP, por exemplo, é um software disponibilizado em módulos, sendo cada um destinado a coordenar operações de um setor (produção, financeiro, estoque, fiscal e assim por diante). Porém, a integração entre os módulos garante que o sistema funcione como se fosse uma unidade.

Os módulos do software possibilitam apontamentos parciais de produção e a sua liberação para o setor logístico. Dessa forma, é permitido criar muitas notas de fabricação em apenas uma ordem de produção.

As vantagens em usar as soluções de TI

Com a utilização de sistemas de gestão automatizados, a ordem de produção usufrui de vantagens diversas, como:

  • monitoramento do desempenho da produção (baseando-se, inclusive, nos apontamentos fornecidos);
  • visão sistêmica de toda a capacidade instalada;
  • emissão automática de laudos técnicos relacionados a cada fase de produção;
  • emissão automática das ordens de compra para os insumos;
  • gestão dos indicadores que analisam os resultados da ordem de produção, da capacidade produtiva e do estoque;
  • roteirização de todas as atividades envolvidas na ordem de produção;
  • gestão dos custos indiretos que incidem sobre a produção, reduzindo inclusive os gastos com mão de obra;
  • coordenação integral das movimentações nos estoques, além de outros benefícios que refletem principalmente na melhoria dos resultados e nos menores custos.

Enfim, os apontamentos da ordem de produção permitem uma análise equilibrada dos custos e das necessidades de aquisição de matéria-prima e de outros insumos. A tecnologia simplifica processos que, de outro modo, seriam mais complicados e suscetíveis a falhas.

As estratégias mais eficientes e a ordem de produção

O uso de TI favorece a aplicação das estratégias citadas mais acima na medida em que permite o controle mais rigoroso sobre os gastos e as operações. Veja com mais detalhes algumas dessas estratégias!

Just in Time

Essa estratégia tem como finalidade evitar ao máximo os desperdícios durante o ciclo produtivo. Dessa forma, estoques e inventários devem ser mínimos, e itens de produção (ou produtos para venda) só devem ser solicitados quando forem realmente necessários.

CIM

A Computação Integrada à Manufatura (ou Fabricação Integrada por Computador, ou ainda Manufatura Integrada por Computador) consiste na utilização de computadores e técnicas desenvolvidas de produção a fim de executar ou dar assistência nas operações necessárias para produzir um item.

O CIM integra e acelera o processo de produção desde o input até a fabricação do item. A sua principal característica é automatizar o fluxo de informações entre as operações, compartilhando-as entre todos os setores envolvidos.

MRP

Trata-se do Planejamento das Necessidades de Materiais, um sistema que transforma um cronograma de ordem de produção nas necessidades efetivas e essenciais do planejamento.

O MRP usa as listas de itens, as informações sobre a gestão de estoques e o planejamento da produção com a finalidade de calcular os materiais e acionar a emissão dos pedidos de ordens de compra ou de produção.

Dessa maneira, existe um controle mais efetivo sobre os estoques e o ciclo produtivo.

Outras estratégias

Existem outras estratégias que valem a pena serem conhecidas e podem ser aplicadas para aprimorar a ordem de produção de uma empresa. São elas:

  • Células de Produção (uma ou mais máquinas ligadas entre si);
  • Comando Numérico Computadorizado (CNC);
  • Computador Ajudando a Manufatura (CAM);
  • Computador Ajudando o Desenho/Computador Ajudando a Engenharia (CAD/CAE);
  • Tecnologia da Produção Otimizada (OPT), entre outras.

Já utiliza alguma dessas tecnologias para gerenciar a ordem de produção de seu estabelecimento? Siga-nos em nossas redes sociais e acompanhe mais novidades por meio das publicações no Facebook e no YouTube!

materiais-gratuitos-gestao-fiscal
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This