Gestão de finanças: o que fazer para organizar minha empresa?

O mercado do empreendedorismo está tão competitivo que, se a sua empresa pisar na bola, a chance de fechar suas portas é muito grande. Hoje, não basta ter conhecimento apenas sobre o seu meio, é essencial também ter uma boa gestão de finanças.

E o principal erro das médias e pequenas organizações é focar no serviço ou produto em si — ou seja, somente em questões operacionais — e esquecer do planejamento financeiro. É preciso saber qual é o lucro, quanto se investe e quais são os custos.

E, para isso, é fundamental ficar atento a todos os números relacionados ao negócio. Mas, afinal, como estruturar a sua empresa? Quais critérios devem ser seguidos? É o que você vai conferir no post de hoje!

O que é gestão de finanças?

Grosso modo, a gestão de finanças compreende o planejamento, a análise e o controle de todas as ações financeiras realizadas por uma instituição. Seu objetivo é organizar os gastos para que as decisões sejam tomadas com eficiência e responsabilidade.

Sendo assim, os relatórios vão apresentar as contas a pagar e a receber, fluxo de caixa, custos operacionais, cálculo de necessidades, relação e previsão de novos recursos. Fatores que vão te auxiliar a planejar os rumos do negócio, respeitando a legislação e os prazos e evitando pagamento de juros e impostos altos.

Como ter uma situação financeira saudável?

O principal conselho para ter uma situação financeira saudável é separar a conta da empresa da sua conta pessoal. Nada pode ser misturado, então, busque trabalhar da maneira mais profissional possível.

Contudo, além disso, existem outros fatores que devem ser seguidos para conquistar a tão sonhada saúde financeira. Então, confira a seguir estas 13 dicas que separamos para você:

1. Faça um planejamento

As despesas e ganhos da organização precisam ser monitorados. Isso quer dizer que é indispensável fazer um planejamento para te orientar a gerir o seu negócio com excelência e fazer o empreendimento crescer.

Portanto, crie planilhas ou busque um sistema de controle financeiro que acompanhe as entradas e saídas diárias. Assim, será possível entender o que está acontecendo com as contas e trabalhar em conjunto para resolver os problemas.

2. Registre todas as movimentações financeiras

Inclua nos relatórios todas as movimentações financeiras realizadas pela empresa — mesmo aquelas de baixo valor. Isso é primordial para que você entenda como o dinheiro está sendo gasto, bem como quais custos podem ser cortados e quais investimentos serão realizados.

3. Não contraia dívidas

A gestão de finanças tem como um dos objetivos fazer com que as suas ações fiquem organizadas. Dessa maneira, você saberá quando e como investir.

Por isso, não contraia dívidas e pague qualquer gasto que ainda exista. Assim, a organização não passará por eventualidades e poderá respeitar todos os seus acordos.

4. Crie um fundo de reserva

Sabemos que qualquer investimento possui os seus riscos. Em razão disso, crie um fundo de reserva para cobrir algum imprevisto que aparecer. Sem dúvida, esse é um fator vital para ter controle de despesas extras.

5. Pague as contas em dia

O bom relacionamento com fornecedores se deve pelo pagamento das contas em dia. Então, se você confia em quem presta serviço para a sua empresa, é imprescindível cumprir os compromissos com eles. Isso evita juros e multas desnecessários.

E lembre-se: a regra principal para administrar os negócios é gastar sempre menos do que se ganha.

6. Respeite a legislação

Todo empreendimento deve arcar com os seus direitos e deveres, então não fuja deles! É sua obrigação pagar os impostos correspondentes.

Tenha um contador de confiança para realizar os devidos procedimentos, e evite problemas com a Receita Federal e demais órgãos de fiscalização. Além disso, siga os protocolos e mantenha a sua empresa 100% legalizada.

7. Tenha um controle de estoque

Se você trabalha com vendas físicas, não deixe que os seus clientes cheguem até a sua loja e não encontrem o que esperam. Para isso, coloque no seu planejamento financeiro quais são os custos com estoque e verifique sempre os prazos.

8. Acompanhe o pró-labore

O pró-labore é a remuneração dos sócios e gerentes da instituição, e deve ser acompanhado com cuidado. Então, confira os relatórios e faça os pagamentos adequadamente — mas nunca misture este tipo de pagamento com as da empresa, para que os resultados não sejam comprometidos.

9. Conheça termos e conceitos financeiros

Você não precisa ser um expert em economia — seu contador já terá esse trabalho —, mas é fundamental conhecer os conceitos básicos. Especialmente, saiba bem o que é lucro, faturamento, receita, despesa, fluxo de caixa e capital de giro.

Dessa forma, você vai interpretar melhor em que patamar a sua empresa se encontra e quais são as características do seu mercado.

10. Corra riscos com consciência

O desenvolvimento da organização depende de quais riscos são escolhidos para ser enfrentados. Afinal, é preciso se arriscar — principalmente para se destacar da concorrência. Então, faça as apostas com sabedoria e informação, sabendo dos possíveis imprevistos que possam ocorrer.

11. Compre o que for necessário

Não hesite em comprar o que for necessário para que a sua empresa se desenvolva e se profissionalize, mas deixe de lado os gastos irrelevantes. Além disso, quando for comprar, efetue sempre uma pesquisa cuidadosa e escolha fornecedores confiáveis.

12. Opte por procedimentos eletrônicos e online

Estamos na era digital: então, esqueça os documentos impressos e aquela papelada toda. Aposte em aplicativos, softwares, pagamentos e faturas online. Afinal, os procedimentos eletrônicos são mais rápidos, confiáveis e padronizados.

13. Analise os resultados

Por fim, todo empresário precisa ter o apoio das DREs (Demonstração dos Resultados do Exercício) completas e regulares. Dessa forma, você saberá como o seu negócio está evoluindo, o que deve ser alterado e quais metas precisam ser alcançadas.

Bom, como vimos, estruturar as contas é essencial para qualquer instituição. Assim, o gestor consegue compreender exatamente qual é a situação da organização e quais são os passos para o futuro. E isso é sinônimo de crescimento, consolidação e atração de novos clientes.

Portanto, acompanhe cada passo do seu empreendimento, tenha o controle total sobre os seus investimentos e não deixe que oportunidades interessantes passem por falta de planejamento financeiro. E não hesite em contatar um especialista no assunto para ajudar!

E aí, gostou do post? Agora que você já sabe que ter uma gestão de finanças é imprescindível para gerir a sua empresa, que tal compartilhar as suas experiências com a gente? Deixe-nos o seu comentário e participe!

materiais-gratuitos-gestao-fiscal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This