Curva ABC: entenda como utilizá-la na gestão de estoque

Você sabia que conhecer quais são os produtos mais estratégicos para o seu negócio pode fazer toda a diferença para aumentar o seu faturamento? Muitos empreendedores montam seus estoques na base da intuição e acabam com mercadorias encalhadas e, no fim das contas, mais prejuízo do que lucro. 

Ter um controle de estoque preciso e sem falhas é muito mais simples do que parece. Para isso, você pode contar com uma ferramenta bastante útil que visa a aumentar o desempenho da sua empresa.

A curva ABC é um conceito que permite que os gestores analisem e categorizem os produtos mais vendidos do negócio para montar um estoque eficiente. A partir dessa metodologia, é possível dar a atenção que cada mercadoria precisa, evitar desperdícios e investir melhor o dinheiro da companhia.

Pronto para descobrir como a curva ABC pode transformar a sua organização de estoque de uma vez por todas? Então acompanhe! 

Como funciona a curva ABC? 

Você já deve estar cansado de saber que o excesso ou a falta de produtos em estoque prejudicam a sua empresa. O excesso de mercadorias faz com que seu dinheiro fique parado enquanto poderia estar sendo utilizado em outras frentes do negócio. Já a falta faz você perder oportunidades de venda, gerar menos receita (por ausência de estoque) e abrir caminho para o concorrente. 

É aí que entra o método da curva ABC: para controlar a quantidade de itens em estoque e proporcionar mais lucro à organização. Essa ferramenta, também conhecida como Análise de Pareto, tem como principal objetivo classificar e agrupar os produtos de uma empresa, de acordo com sua importância, para gerar mais receita e lucratividade.

Em resumo, ela defende que 80% do lucro de um negócio é proveniente de 20% de seus produtos ou clientes. Sendo assim, o método divide os itens do estoque em três classes.

Classe A

Representa uma pequena porcentagem de produtos que são responsáveis por uma alta parcela do lucro da empresa. Normalmente, apenas 20% dos itens são classificados nesse grupo, que representa 80% do faturamento do negócio. 

Classe B

Aqui, entram os 30% dos produtos categorizados, que chegam a simbolizar 15% das vendas. Ou seja, esses são os itens de importância intermediária para a gestão.

Classe C

Representa cerca de 50% das mercadorias, mas tem baixa rotatividade para a receita da empresa (algo em torno de 5%). 

Esses números podem variar de empresa para empresa. Por isso, vale lembrar que esse método deve servir como um parâmetro para o empreendedor, e não como uma regra engessada. 

Como fazer a análise dos resultados? 

O primeiro passo para montar a curva ABC é, em uma planilha, relacionar cada um dos seus produtos em uma coluna, o preço unitário em outra, o total de vendas em um determinado período (semana, mês) em uma terceira coluna e o total arrecadado com cada produto em uma última. Para que seja assertiva, a planilha deve contar com os dados de todos os seus itens em estoque. 

Com essas informações em mãos, você terá o valor total em vendas no período determinado e o percentual de contribuição de cada mercadoria para esses resultados.

Após essa primeira análise, você ainda deve checar quais são os produtos que representam a classe A, ou seja, cerca de 80% do seu faturamento. Além disso, ainda é preciso encontrar os itens que se encaixam nas classes B e C.

Pronto, com essa avaliação, você conhece os itens mais importantes para o seu estoque. 

Como usar esses resultados para montar o estoque? 

Os produtos da classe A, que são os mais procurados e com mais elevada rotatividade, são aqueles que nunca podem faltar. Por isso, o ideal é manter um monitoramento da saída dessas mercadorias para planejar reposições com antecedência e reservar a verba necessária para isso. 

As mercadorias da classe A, além de gerarem receita, são atrativos que trazem os consumidores até o seu negócio. Por isso, elas demandam atenção redobrada do gestor. Se os produtos mais vendidos faltarem nas prateleiras, o lucro no fim do mês será afetado. 

Os produtos das classes B e C não necessariamente devem sair do seu mix de vendas. Mesmo sendo menos importantes do que os da classe A, esses itens podem aumentar a estabilidade da empresa e elevar o ticket médio dos clientes.

Por exemplo, imagine que você é dono de uma drogaria. Nesse caso, fraldas são produtos de classe A, já que têm bastante saída. Para aproveitar todo o potencial de compra do cliente que quer adquirir a fralda, você pode oferecer produtos das classes B e C com menos saída, como mamadeiras, chupetas, lenços umedecidos etc.

Ao fazer a análise da curva ABC, muitos empreendedores passam a perceber que precisam mudar o mix base de seus produtos para que aproveitem todo o potencial dos seus clientes. 

Quais são os benefícios desse conceito?

Estoque de acordo com a demanda

As análises da curva ABC servem como base para direcionar o setor de compras a investir mais capital na obtenção de mais quantidade de itens da classe A. Assim, a maior demanda dos clientes passa a ser mais bem atendida e a empresa não corre o risco de ficar sem produtos de elevada importância. 

Redução de excesso ou falta de produtos 

Se essa ferramenta faz com que o estoque seja coerente à demanda dos clientes, consequentemente, ela ajuda a evitar o excesso ou a falta de itens em estoque. Isso auxilia a empresa a evitar perdas de produtos devido à perecibilidade ou à obsolescência. 

Capital bem empregado

Outra vantagem clara de aderir à prática da curva ABC é que, graças a um sistema de compras assertivo, o capital de giro do negócio é mais bem empregado e, com isso, é utilizado somente nas operações de que a empresa realmente precisa.

Assim, você pode aproveitar montantes que estariam “presos” em produtos obsoletos em estoque para investir em áreas que podem fazer a diferença para o crescimento da companhia

A curva ABC é uma metodologia muito útil para todos os negócios, pois permite que o empreendedor categorize seu estoque de acordo com o valor de contribuição de cada mercadoria. Essa prática ajuda a organizar o mix de vendas, empregar melhor o capital da empresa e aumentar o faturamento. 

Agora que você conhece essa ferramenta, está pronto para utilizá-la e fazer seu negócio caminhar em direção ao sucesso! 

Gostou deste post? Você já utiliza a curva ABC na sua empresa? Compartilhe suas experiências nos comentários abaixo! 

materiais-gratuitos-gestao-fiscal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This